quarta-feira, 27 de julho de 2011

FESP capacita 50 alunos em curso de libras

FESP capacita 50 alunos em curso de libras

Vagas são distribuídas para alunos e comunidade que vão atuar como interlocutores no relacionamento social com deficientes auditivos

A Língua Brasileira de Sinais, a “Libras” é produzida no espaço utilizando as expressões corporais e faciais, juntamente com as mãos. Ela é tão complexa quanto a língua oral: possui gramática e todos os níveis linguísticos – morfológico, pragmático, semântico, sintático e fonológico. E detalhe: cada país possui sua própria língua de sinais.

As informações precisas são da professora de libras da Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP), Priscila Soares Vidal Festa.

O segundo módulo curso na FESP começa no próximo sábado (30) que oferece 20 vagas para alunos da faculdade e 30 para a comunidade. “A FESP oferece o curso de graça para alunos estendendo a oportunidade para a comunidade”, conta Priscila destacando os excelentes resultados apontados pelos alunos.

“Os alunos acabam agregando um valor importante na carreira profissional, acadêmica e pessoal, principalmente por se tornarem bilíngues. Os horizontes sociais também acabam ganhando expressiva ampliação pelo relacionamento e pelas ações de inclusão social que a língua oferece”, destaca a professora.

Mercado de trabalho

Os números não são bons. De acordo com as estatísticas do cadastro da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério do Trabalho e Emprego, o mercado de trabalho para pessoas com deficiência no Brasil encolheu 12% nos últimos três anos.

A revelação da redução dos postos de trabalho para pessoas com deficiência é ainda mais alarmante quando se compara o número de vagas criadas em geral no país neste período: 6,5 milhões de vagas com carteira assinada. Ou seja, além de não ter criado novas vagas propositalmente a esse número as empresas ainda fecharam os postos que tinham em 2007 para pessoas com deficiência.

“Um fator importante dentro do cenário de trabalho é que poucas pessoas fazem libras para agregar um valor profissional e facilitar no processo de inclusão. O problema está na comunicação, ou seja, se mais pessoas tivessem libras os problemas do mercado seriam menores porque mais profissionais seguramente estariam locados”, destaca a professora.

Mesmo com Leis que obrigam a contratação de pessoas com deficiência por empresas com mais de 100 funcionários, a fiscalização e a cobrança pelo cumprimento ainda deixam a desejar.

As inscrições para o segundo módulo do curso de Libras devem ser feitas diretamente na secretaria da FESP, à Rua Dr. Faivre, 141 no Centro de Curitiba.

Obs: Necessário apresentar documento de conclusão do primeiro módulo do curso de Libras.

Ínicio do Curso: 30/07/2011

Priscila Festa - PROFESSORA FESP

Para a professora de Libras Priscila Festa, os alunos acabam agregando um valor importante na vida pessoal e profissional

Por Kelson Henrique
Gestor de Comunicação

Faculdade de Educação Superior do Paraná | FESP
55 41 3028-6563


fonte: http://www.fesppr.br/site/noticias/4702-fesp-capacita-50-alunos-em-curso-de-libras/

4 comentários:

Sua opinião é importante!!